Política na Aviação

  Composição de fotos retiradas do 1 Google Earth, 2 Vitor Soares (visite o Brasil), 3 houseofcardsbrasil e agenciabrasil.


Ricardo Nunes informou que propôs a Bolsonaro

entrega de aeroporto em troca do fim de uma dívida de R$ 25 bilhões.

   Foto: Welton Ap. P. Chagas

   Fonte R7: Alan Rios, do R7, em Brasília

   O prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB), propôs ao presidente da República, Jair Bolsonaro, um acordo pelo fim do litígio do Aeroporto Campo de Marte. A proposta envolve a entrega do local ao governo federal em troca do fim da dívida da prefeitura, que chega a R$ 25 bilhões....Leia mais


FRENTE PARLAMENTAR EM DEFESA DO TRANSPORTE AÉREO NACIONAL

Foi lançada nesta terça-feira (11), na Câmara dos Deputados, a Frente Parlamentar

pela Promoção da Aviação da Amazônia.

 

 O objetivo do grupo é encontrar saídas para incentivar a integração da região amazônica conhecida como Amazônia Legal. Leia Mais...

Fonte: sputniknews


Envie seu comentário sobre o site do Campo de Marte 

contato@campodemarte.com.br

*** Leia os comentários já publicados ***  


Lei cria programa para incentivar uso do bioquerosene na aviação civil

                             Fonte: Agência Câmara de Notícias


 Projeto torna crime a exploração de táxi aéreo clandestino

 

 Coronel Tadeu: "é um comportamento, por si só, perigoso" 

O Projeto de Lei 2273/19 torna crime a exploração de táxi aéreo clandestino. A pena prevista é de reclusão, de dois a cinco anos, e multa. Caso haja aeronave se envolva em algum acidente, o texto prevê pena de reclusão de quatro a doze anos, e multa.

Atualmente, o Código Penal não prevê a tipificação do crime, apenas a penalização para quem expor sob risco embarcação ou aeronave, com pena que vai de dois a cinco anos de reclusão.

O autor do projeto, deputado Coronel Tadeu (PSL-SP) explica que existem inúmeros casos de apreensão de aeronaves promovendo a comercialização de voos fretados sem a indispensável homologação junto à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Leia mais...

Fonte: http://www.camara.leg.br